domingo, 4 de outubro de 2015

A crise dos hábitos


Você que nasceu entre as décadas de 80 e 90, talvez não tenha fortes recordações do que seja viver em tempos de crise, mas certamente, seus avós e pais, lembram muito bem dos anos nada dourados, no máximo tempos de prata barata. 

Pois bem, mas a danada da crise voltou, e eu sei que o nome assusta mais do que suas consequências, propriamente ditas. 
Não que tudo de ruim no mundo, como o dedinho que você bateu agora a pouco na quina da porta, seja culpa da crise, como a maioria das pessoas pensam. A verdade dos fatos, é que necessitamos desmistificar a ideia de arrumar culpados para as situações adversas (crise dos hábitos), e tomar as rédeas da situação. Segura, peão. 

Desacostumamos daquele velho hábito de economizar, e agora, nos vemos sufocados por juros, taxas, aumentos abusivos, e sobretudo, pela falta de equilíbrio para pensar nas saídas possíveis. 
Você deve ter se perguntado algumas vezes, ao assistir o drama dos telejornais: O que está acontecendo? O que eu vou fazer?
Calma! Toda crise sugere uma reorganização, e isso está longe de um todo, ser ruim. Devemos começar pelos (velhos) hábitos. 

Veja bem, não estou dizendo que você deva se tornar uma pessoa refém dos desejos, amarga, mal vestida, infeliz, e de unhas mal feitas, isso não poderia ser justificado com a crise, e sim com a falta de bom senso, o que sugiro é a escolha de hábitos mais flexíveis.

A balada nossa de toda sexta, por exemplo, deve terminar um pouco mais cedo pra você, mas não deve deixar de ser frequentada. Dose os gostos. O vestido caríssimo, e que na maioria das vezes é usado apenas uma vez, pode ser substituído por aquele conjuntinho mais em conta (saia + blusa), que lhe oferece a vantagem de novas combinações, e se optar pelo vestidinho de todo jeito, opte também por um hábito antigo, por anos esquecido, que é a lei da procura. Certamente, as horinhas a mais na procura da roupa, refletiram e muito, no seu bolso. E o que falar do salão, sagrado, de toda semana. Bem, escolha sem exageros, mais uma vez. Deixe os impulsos da vida de cinderela para uma vez ao mês, e cuide apenas do essencial nos demais dias. 

Para os homens que se dedicaram a ler este texto, bem, deixem de lado o ego e valorizem seus bolsos rapazes, não é tempo de ser machão, é tempo de racionalizar os gastos. E deixa eu contar um segredinho, mulheres e homens, adoram gente inteligente ao seu lado, seja interessante até em crise trocadilho, infame.

Como eu já disse, é tudo questão de reorganização dos hábitos, gostos, costumes. Um regime de bolso, uma troca de rotina, mas não uma anulação de felicidade, afinal, a crise não é ex-namorado (a) chato, é só mais um desafio da vida. Logo você notará, que a crise tem medo de pessoas criativas e dispostas, mostre quem é que manda. 



quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Como se vestir bem gastando pouco






Decidi separar para vocês, pessoas humanas, algumas dicas de como se vestir com dignidade e elegância apesar da precariedade das suas contas bancárias, são dicas simples e tentei usar palavras simples também, porque sei que em tempos de crise a primeira coisa afetada é a educação. Como eu acho que analfabeto funcional também pode ser bonito peguei algumas imagens para ilustrar.

DICA 1:
Blue jeans é uma coisa maravilhosa, porque jeans já dura bastante mas o blue jeans depois que fica velho e desbotado continua estiloso, e se rasgar o joelho de tanto lavar, você finge que está “like a punk” e ninguém se importa. 

Também tem o fator versatilidade, você pode ser mais casual e combinar com white shirt tipo James Dean do jeito que a Lana gosta, pode usar com camiseta estampada , camisa social, burca ou com aquele blazer alugado e fica tudo ótimo. Uma peça para todas as ocasiões.

DICA 2:

"-Ah mas aquele menino só veste a mesma roupa!
- É porque fã você sabe como é né...
- verdade..."

Se você é fã de uma banda e veste sempre aquela camiseta da banda, mesmo sem nunca ter ido no show da banda, para prestigiar a banda, mas todos sabem que você ama aquela banda, ninguém se importa se você só usar a camiseta da banda, porque fã é fã e você sabe como é né...

vai na Marisa e compra uma camiseta  da banda que você gosta, mas gosta de uma banda antes de comprar a camiseta, porque não tem nada mais deselegante e perigoso que usar camiseta de uma banda que você não conhece, vai que você encontra um fã da banda e ele puxa assunto...

DICA 3:

Se tem uma coisa que você vai precisar pelomenos uma vez na vida é de uma camisa, porque as pessoas precisam usar camisa para certas obrigações sociais, então é sempre bom ter uma camisa, pode ser branca, ou preta, ou xadrez

porque camisa xadrez é uma invenção maravilhosa! se eu soubesse quem foi o gênio que teve a ideia de pegar a toalha da mesa e fazer uma camisa com ela, eu ia lá dar uns bejo nessa pessoa.

 Porque a gente ta normalzinho até colocar a camisa xadrez no look, ai já fica diferente, e nem precisa fazer sentido,porque não faz nenhum sentido amarrar camisa na cintura, mas fica bonito, descolado, parecendo uma saia de escocês ruivo gostoso pegando na tora de madeira  e jogando pra cima, O xadrês certamente tinha de vir de um povo que brinca de jogar troco de árvore pra cima. Muito obrigado! A humanidade agradece.

DICA 4



Sobre sapato, porque o asfalto é quente e você vai queimar seus pés se sair descalço, inclusive se você tiver sapatos sobrando doe para os moradores de rua que precisam mais que você, fica só com o all star e a sapatilha e um salto ou um coturno

o all star porque é um sapato que você usa pra vida inteira e ainda deixa de herança, eu acho que o primeiro all star fabricado ainda está em circulação, porque é um tênis feito de estrelas. borracha e lona, não acaba nunca.  A gente doa quando cansa dele, porque chega um tempo que ele começa a te atormentar porque tem muitas lembranças envolvidas e ninguém gosta de tanta lembrança dentro de casa

Coturno é outra coisa maravilhosa perfeito para agregar estilo a  homens, mulheres, pessoas não binárias e etc. coturno é pra quem tem pé!

E tem a sapatilha que é mais feminina e prática e também  porque não dá pra fazer faxina de salto né amiga

Mas se você achar que precisa de um salto, compra um sapato de salto não compra um tijolo, a humanidade já tem tecnologia suficiente pra superar o salto plataforma, melhoremos.

AGORA UMA DICA MUITO IMPORTANTE:

E NÃO USA SAPATO MENOR QUE O SEU PÉ! fica feio parecendo um cupcake, um potinho de amoeba, a bochecha do fofão, e se tiver dedinho saltando pra fora do sapato se suicida que esse mundo não é pra você!

DICA 5:


Você vai precisar de acessórios é claro, chapéu é bom mas cuidado com o cabelo porque pode dar caspa, pulseiras, colares, braceletes essas coisa que você acha baratinho na feira popular, mas o que vai precisar mesmo é de uma bolsa.

As bolsas são muito versáteis  e existem muitos modelos no mercado, se você preferir uma bolsa de marca famosa compra uma cópia bem feita pelomenos porque  aquele plástico pintado com verniz de porta é um atestado de pobre passado em cartório.

Mais elegante seria comprar uma bolsa bonita de uma marca mais barata, vale até usar aquela bolsa de crochê que sua tia fez com resto de linha e é toda coloridinha, bem “hippie”  que agora se chama “boho” e é maior tendência.

É importante que a sua bolsa caiba tudo que você tem que carregar, algumas pessoas precisam apenas de uma carteira  pra levar o cartão do bolsa família outros precisam de uma bolsa grande pra catar latinha se você  realmente precisa andar com essa bolsa imensa pendurada no seu ombro tenta não engalhar ela na catraca do ônibus que ninguém gosta de ver gente entalada atrapalhando o fluxo

Por hoje é só, depois eu volto pra ensinar mais coisas a vocês, tchau sem beijo, para não gastar o meu batom. 

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Moda, estilo e essa coisa toda




No processo de desconstrução e reconstrução da imagem do ser social contemporâneo há aqueles que clamam por mudança radical da figura indumentária humana, outros sugerem a permanência do clássico, talvez pelo medo de errar, ainda há quem acredite que a naturalidade dos fatos coincidirá numa mudança radical e espontânea de fato já não nos vestimos como no inicio do século passado (uma afirmação duvidosa e questionável). Filosofia social a parte Estamos mesmo falando de MODA? Cadê o look do dia?






É culpa do tempo, esse fenômeno além de toda possibilidade humana, ele que nos transforma e nós transformamos o meio em que vivemos, lembra da aula de geografia,  primeiramente ele (o tempo) muda nossa forma de pensar e Se o pensamento muda, a roupa muda em detrimento desta primeira mudança. isto justifica porque aos 15 anos de idade nos vestimos de uma maneira e aos 25 já abandonamos o guarda roupas antigo
 (ou pelomenos deveríamos abandonar).
De maneira pessoal mudamos porque mudam nossas idéias, nossas vontades, nossos anseios, nossa idade e o próprio universo em que estamos inseridos, ou a maneira como o enxergamos, se aos 25 ainda vivemos a mesma vida e o mesmo pensamento dos 15 o estilo permanece.mas tem coisa errada aí 


Existem também mudanças "gerais" que envolve não somente indivíduos isolados, algumas são nítidas ao primeiro olhar, outras visíveis com um pouco de reflexão. Podemos citar alguns exemplos:

 1 o advento tecnológico que transforma  o celular como extensão do corpo

2.o universo dos blogs e a difusão do pensamento e das opiniões.

3. Redes sociais que mudaram a forma como somos vistos pelos outros

4. A  vaidade masculina posta em evidência 

5. O discurso dos corpos sarados 



Considere que todos esses fenômenos não surgem espontaneamente nem são gerados por mentes perversas que se reúnem em uma sala escura para modificar o destino da humanidade na verdade não!  essas salas agora são bem iluminadas   Como já disse Luis de camões 500 anos atrás "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades"

A vontade que não muda, podemos afirmar, é de sermos todos bonitos e/ou bem vestidos.ser bonito infelismente não é opcional 






Ai você percebe que nessa dança tudo mudo e o que era tendência passa literalmente em um segundo
mas o que é tendência mesmo?

A tendência é uma proposta, apenas uma possibilidade, 
porque ninguém é obrigado a nada  
Muitas ideias são lançadas pelos criadores,vulgo: estilistas  e cada um vulgo: pessoas normais escolhe oque melhor se insere no seu universo, e na sua rotina.
 Por exemplo: Há quem prefira se vestir como no início do século passado; mulheres que não dispensam maquiagem e outras que não se importam muito; também homens que gostam de usar saia, e outros que   isso permanece inerente a personalidade de cada um, o papel da passarela é apresentar propostas para o futuro. e muitas vezes essa apresentação é apenas um reflexo do que já se vê pelas ruas, porque aquela moda monárquica com um imperador lá no alto dizendo o que vai se vestir e o que vai se jogar no lixo, morreu de desgosto, deixando espaço para um advento do estilo 
AGORA UM MANIFESTO DO ESTILO:

E  o que aprendemos com tudo isso? 
Não aprendemos nada porque eu não citei Chanel e não seria um texto de blog sem citação de Coco Chanel.

Agora sim, podemos morrer em paz!