quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Moda, estilo e essa coisa toda




No processo de desconstrução e reconstrução da imagem do ser social contemporâneo há aqueles que clamam por mudança radical da figura indumentária humana, outros sugerem a permanência do clássico, talvez pelo medo de errar, ainda há quem acredite que a naturalidade dos fatos coincidirá numa mudança radical e espontânea de fato já não nos vestimos como no inicio do século passado (uma afirmação duvidosa e questionável). Filosofia social a parte Estamos mesmo falando de MODA? Cadê o look do dia?






É culpa do tempo, esse fenômeno além de toda possibilidade humana, ele que nos transforma e nós transformamos o meio em que vivemos, lembra da aula de geografia,  primeiramente ele (o tempo) muda nossa forma de pensar e Se o pensamento muda, a roupa muda em detrimento desta primeira mudança. isto justifica porque aos 15 anos de idade nos vestimos de uma maneira e aos 25 já abandonamos o guarda roupas antigo
 (ou pelomenos deveríamos abandonar).
De maneira pessoal mudamos porque mudam nossas idéias, nossas vontades, nossos anseios, nossa idade e o próprio universo em que estamos inseridos, ou a maneira como o enxergamos, se aos 25 ainda vivemos a mesma vida e o mesmo pensamento dos 15 o estilo permanece.mas tem coisa errada aí 


Existem também mudanças "gerais" que envolve não somente indivíduos isolados, algumas são nítidas ao primeiro olhar, outras visíveis com um pouco de reflexão. Podemos citar alguns exemplos:

 1 o advento tecnológico que transforma  o celular como extensão do corpo

2.o universo dos blogs e a difusão do pensamento e das opiniões.

3. Redes sociais que mudaram a forma como somos vistos pelos outros

4. A  vaidade masculina posta em evidência 

5. O discurso dos corpos sarados 



Considere que todos esses fenômenos não surgem espontaneamente nem são gerados por mentes perversas que se reúnem em uma sala escura para modificar o destino da humanidade na verdade não!  essas salas agora são bem iluminadas   Como já disse Luis de camões 500 anos atrás "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades"

A vontade que não muda, podemos afirmar, é de sermos todos bonitos e/ou bem vestidos.ser bonito infelismente não é opcional 






Ai você percebe que nessa dança tudo mudo e o que era tendência passa literalmente em um segundo
mas o que é tendência mesmo?

A tendência é uma proposta, apenas uma possibilidade, 
porque ninguém é obrigado a nada  
Muitas ideias são lançadas pelos criadores,vulgo: estilistas  e cada um vulgo: pessoas normais escolhe oque melhor se insere no seu universo, e na sua rotina.
 Por exemplo: Há quem prefira se vestir como no início do século passado; mulheres que não dispensam maquiagem e outras que não se importam muito; também homens que gostam de usar saia, e outros que   isso permanece inerente a personalidade de cada um, o papel da passarela é apresentar propostas para o futuro. e muitas vezes essa apresentação é apenas um reflexo do que já se vê pelas ruas, porque aquela moda monárquica com um imperador lá no alto dizendo o que vai se vestir e o que vai se jogar no lixo, morreu de desgosto, deixando espaço para um advento do estilo 
AGORA UM MANIFESTO DO ESTILO:

E  o que aprendemos com tudo isso? 
Não aprendemos nada porque eu não citei Chanel e não seria um texto de blog sem citação de Coco Chanel.

Agora sim, podemos morrer em paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário